Aluno formado na Universidade é destaque no ramo da Odontologia

06/10/2014

Formado em 1982, na primeira turma de Odontologia da Universidade de Taubaté (UNITAU), José Roberto Santana de Moura Júnior realiza pesquisas e projetos no ramo da Odontologia Estética e defende o uso do micróscopio nas clínicas dentárias. Com 31 anos de carreira e 51 de idade, José Roberto acompanhou a implementação do curso de Odontologia na UNITAU. "Na época, nós participamos desse projeto. O Departamento, que antes era localizado no Campus do Bom Conselho, foi para o endereço atual no começo do meu terceiro ano, então pudemos participar de todo esse pioneirismo na região", disse. O profissional relembra o tempo em que estudou na Universidade. "Era um tempo muito bom, aconteceram muitas coisas boas, uma época em que éramos muito unidos, tanto alunos quanto professores. Os professores só conheciam nossa turma, pois fomos a primeira, e isso gerou uma cumplicidade e uma amizade que perduram até hoje", afirma. Após formado, José Roberto fez especialização em Dentística Restauradora e mestrado em Prótese Dentária, deu aulas na UNITAU e na Universidade Estadual Paulista (UNESP). Ministrou cursos e palestras no Brasil e em vários países, como Japão, Indonésia, Tailândia, Coréia, Estados Unidos, Grécia, Lituânia, Dinamarca, entre outros. José Roberto promove a filosofia de trabalho da Odontologia estética e a microscopia no tratamento dentário, técnica que utiliza há 20 anos. "Isso proporciona uma visão mais clara, mais ampla, com uma riqueza de detalhes imensurável, um aumento de 25 a 30 vezes, que não conseguiríamos ver a olho nu ou com uma lupa", explica. "Hoje em dia nós temos materiais que, além de devolver a mastigação do paciente, automaticamente, faz o trabalho de restaurar a aparência natural perdida, proporcionando um sorriso agradável que gera um valor subjetivo na vida do paciente muito grande: o paciente se torna mais confiante, uma pessoa mais expansiva, mais expressiva", diz o dentista. A pesquisa também é presente na vida de José Roberto. Por meio das imagens captadas pelas câmeras e filmadoras, que são instrumentos de trabalho de sua clínica, ele pode achar soluções e passar o conhecimento adiante. O especialista fundou com alguns colegas a Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE), sendo presidente duas vezes da entidade. Ele também foi o primeiro brasileiro a presidir a Federação Internacional de Odontologia e Estética, com sede em Genebra, na Suiça, no período de 2010 e 2011. José Roberto diz que quem quer seguir na área odontológica tem que fazer bons cursos. "Uma pós, uma especialização de boa qualidade, um mestrado profissionalizante, para quem quer trabalhar com atendimento clínico e pesquisa, e comparecer em congressos fortes e pertinentes à área escolhida é fundamental", aconselha. "E, principalmente, faça sua rede de contatos, sua networking", frisa. Nos planos do dentista, está a construção de um instituto para estudos da ortodontia por meio da microscopia. O local, que está programado para ser inaugurado em 2015, sediará palestras e pesquisas. "Sou super realizado, adoro o que faço, ganho meu dinheiro na clínica que tenho desde o último ano da faculdade e faço os cursos por prazer. Se nós nos esforçamos, nós conseguimos, pois consegui tudo sozinho, foi uma batalha", disse. "Hoje, fico feliz em conhecer os grandes nomes nacionais e internacionais da minha área de atuação e, principalmente, deles me conhecerem. E não é ser orgulhoso e pedante não, de maneira alguma, é saber que tudo isso aconteceu devido ao meu esforço e pode acontecer com qualquer um que se esforçar e estudar, se atualizando sempre", finaliza. Gabriel CastroACOM/UNITAU

Formado em 1982, na primeira turma de Odontologia da Universidade de Taubaté (UNITAU), José Roberto Santana de Moura Júnior realiza pesquisas e projetos no ramo da Odontologia Estética e defende o uso do micróscopio nas clínicas dentárias.

Com 31 anos de carreira e 51 de idade, José Roberto acompanhou a implementação do curso de Odontologia na UNITAU. “Na época, nós participamos desse projeto. O Departamento, que antes era localizado no Campus do Bom Conselho, foi para o endereço atual no começo do meu terceiro ano, então pudemos participar de todo esse pioneirismo na região”, disse.

O profissional relembra o tempo em que estudou na Universidade. “Era um tempo muito bom, aconteceram muitas coisas boas, uma época em que éramos muito unidos, tanto alunos quanto professores. Os professores só conheciam nossa turma, pois fomos a primeira, e isso gerou uma cumplicidade e uma amizade que perduram até hoje”, afirma.

Após formado, José Roberto fez especialização em Dentística Restauradora e mestrado em Prótese Dentária, deu aulas na UNITAU e na Universidade Estadual Paulista (UNESP). Ministrou cursos e palestras no Brasil e em vários países, como Japão, Indonésia, Tailândia, Coréia, Estados Unidos, Grécia, Lituânia, Dinamarca, entre outros.

José Roberto promove a filosofia de trabalho da Odontologia estética e a microscopia no tratamento dentário, técnica que utiliza há 20 anos. “Isso proporciona uma visão mais clara, mais ampla, com uma riqueza de detalhes imensurável, um aumento de 25 a 30 vezes, que não conseguiríamos ver a olho nu ou com uma lupa”, explica.

“Hoje em dia nós temos materiais que, além de devolver a mastigação do paciente, automaticamente, faz o trabalho de restaurar a aparência natural perdida, proporcionando um sorriso agradável que gera um valor subjetivo na vida do paciente muito grande: o paciente se torna mais confiante, uma pessoa mais expansiva, mais expressiva”, diz o dentista.

A pesquisa também é presente na vida de José Roberto. Por meio das imagens captadas pelas câmeras e filmadoras, que são instrumentos de trabalho de sua clínica, ele pode achar soluções e passar o conhecimento adiante.

O especialista fundou com alguns colegas a Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE), sendo presidente duas vezes da entidade. Ele também foi o primeiro brasileiro a presidir a Federação Internacional de Odontologia e Estética, com sede em Genebra, na Suiça, no período de 2010 e 2011.

José Roberto diz que quem quer seguir na área odontológica tem que fazer bons cursos. “Uma pós, uma especialização de boa qualidade, um mestrado profissionalizante, para quem quer trabalhar com atendimento clínico e pesquisa, e comparecer em congressos fortes e pertinentes à área escolhida é fundamental”, aconselha. “E, principalmente, faça sua rede de contatos, sua networking”, frisa.

Nos planos do dentista, está a construção de um instituto para estudos da ortodontia por meio da microscopia. O local, que está programado para ser inaugurado em 2015, sediará palestras e pesquisas.

“Sou super realizado, adoro o que faço, ganho meu dinheiro na clínica que tenho desde o último ano da faculdade e faço os cursos por prazer. Se nós nos esforçamos, nós conseguimos, pois consegui tudo sozinho, foi uma batalha”, disse.

“Hoje, fico feliz em conhecer os grandes nomes nacionais e internacionais da minha área de atuação e, principalmente, deles me conhecerem. E não é ser orgulhoso e pedante não, de maneira alguma, é saber que tudo isso aconteceu devido ao meu esforço e pode acontecer com qualquer um que se esforçar e estudar, se atualizando sempre”, finaliza.

Gabriel Castro
ACOM/UNITAU