Ex-aluno faz carreira como Ministro da área trabalhista

05/05/2015

O ex-aluno e ex-professor da UNITAU Milton de Moura França trilhou sua carreira como juiz trabalhista, atuação que o levou a um dos cargos mais importantes do país na área, o de ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST). França, que nasceu em Cunha, foi estudante da terceira turma de Direito da Universidade e é formado há 50 anos. Ele resume sua fórmula de sucesso profissional como fruto de "muito estudo e trabalho." O ministro aposentado ocupou o cargo de juiz pela primeira vez em 1975, quando foi aprovado em um concurso público em Guaratinguetá. Após sucessivas promoções na carreira, assumiu uma vaga no Tribunal Regional do Trabalho, em 1991. Em 1996, foi indicado ministro do TST. "Fiquei muito surpreso e feliz quando meu nome foi incluído na lista. Eu havia feito uma sustentação oral em Brasília em 1971 e nunca mais tinha voltado lá", disse. O ministro então se mudou com a família para a capital, onde atuou até junho de 2012. "Eu estudo diariamente. Fazia isso naquela época e continuo até hoje, é fundamental." Em março, o Prof. Milton França foi homenageado pela UNITAU como uma das personalidades que marcaram a história da Instituição. Ele recebeu uma medalha comemorativa dos 40 anos da Universidade, que serão celebrados no dia seis de dezembro. ACOM/UNITAU

O ex-aluno e ex-professor da UNITAU Milton de Moura França trilhou sua carreira como juiz trabalhista, atuação que o levou a um dos cargos mais importantes do país na área, o de ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

França, que nasceu em Cunha, foi estudante da terceira turma de Direito da Universidade e é formado há 50 anos. Ele resume sua fórmula de sucesso profissional como fruto de “muito estudo e trabalho.”


O ministro aposentado ocupou o cargo de juiz pela primeira vez em 1975, quando foi aprovado em um concurso público em Guaratinguetá. Após sucessivas promoções na carreira, assumiu uma vaga no Tribunal Regional do Trabalho, em 1991.

Em 1996, foi indicado ministro do TST. “Fiquei muito surpreso e feliz quando meu nome foi incluído na lista. Eu havia feito uma sustentação oral em Brasília em 1971 e nunca mais tinha voltado lá”, disse.

O ministro então se mudou com a família para a capital, onde atuou até junho de 2012. “Eu estudo diariamente. Fazia isso naquela época e continuo até hoje, é fundamental.”

Em março, o Prof. Milton França foi homenageado pela UNITAU como uma das personalidades que marcaram a história da Instituição. Ele recebeu uma medalha comemorativa dos 40 anos da Universidade, que serão celebrados no dia seis de dezembro.

ACOM/UNITAU